Grupo de consumidores USRTK pede a Jon Entine que revele financiamento, laços com as indústrias que ele defende

Impressão Email Partilhe TWEETAR

News Release

Para liberação imediata: quarta-feira, 2 de março de 2016
Para obter mais informações, entre em contato com: Gary Ruskin (415) 944-7350

Jon Entine, um líder de relações públicas da indústria química que tem escreveu dezenas de artigos defendendo interesses corporativos, hoje atacou o Escola de Jornalismo da Columbia University, afirmando que “difamou a Exxon”, engajou-se no “jornalismo de defesa” e contratou “um ativista” para dirigir a Escola de Jornalismo.

Em resposta, o grupo de consumidores US Right to Know apelou à Entine para revelar em detalhes seus fundos e ligações com as indústrias ele defende in a escrita dele.

“Quem está financiando Jon Entine e o Projeto de Alfabetização Genética?” perguntou Gary Ruskin, codiretor da US Right to Know. “Jon Entine divulgará seus financiadores? Se não, o que ele está escondendo? ”

Em seu artigo no New York Post de hoje, Entine ataca premiado a jornalista Susanne Rust, editora investigativa da Columbia Journalism School. Entine não menciona que Rust e a co-autora Meg Kissinger expuseram laços não revelados com a indústria do grupo STATS de Entine em um Artigo do Milwaukee Journal Sentinel de 2009, que relatou que “a STATS afirma ser independente e apartidária. Mas uma revisão de seus relatórios financeiros mostra que é um ramo do Center for Media and Public Affairs. Esse grupo foi pago pela indústria do tabaco para monitorar notícias sobre os perigos do tabaco. ”

O Projeto de Alfabetização Genética declarado anteriormente que é “afiliado ao Serviço de Avaliação Estatística sem fins lucrativos (STATS)”. No entanto, o Projeto de Alfabetização Genética removeu a referência a STATS de seu site. A assinatura do New York Post de Entine anteriormente se referia a ele como “um membro sênior da STATS, ”E a Entine referiu-se às STATS como“a organização que abriga o Projeto de Alfabetização Genética, onde eu trabalho."

Entine é diretora executiva do grupo de frente da indústria agroquímica Projeto de Alfabetização Genética, um grupo com financiamento desconhecido que ataca regularmente ativistas, jornalistas e cientistas que levantam preocupações sobre os riscos à saúde e ao meio ambiente de alimentos e pesticidas geneticamente modificados.

O artigo de Entine no New York Post é sua segunda incursão recente na arena da política climática, defendendo as empresas de petróleo e atacando os heróis da mudança climática. Em 1 de fevereiro, Entine escreveu um ataque à professora de Harvard Naomi Oreskes, Co-autor de Merchants of Doubt: Como um punhado de cientistas obscureceu a verdade sobre questões que vão desde a fumaça do tabaco até o aquecimento global.

Entine é um porta-voz influente da indústria agroquímica. Solicitações de FOIA pela US Right to Know revelou os laços de Entine com a repórter do New York Times Amy Harmon, colunista de alimentos do Washington Post Tamar Haspel, e jornalista pró-OGM Keith Kloor.

Em 2012, Entine afirmou que "não tinha ideia" de que a Syngenta estava financiando a organização (Conselho Americano de Ciência e Saúde) que publicou seu livro defendendo o herbicida da Syngenta, a atrazina, de acordo com reportagem de Tom Philpott em Mother Jones.

Entine tem fez carreira de defesa as indústrias química, de pesticidas, de combustíveis fósseis e de energia nuclear. Para obter mais informações sobre Jon Entine, leia Folha de fatos do Direito de Saber dos EUA sobre ele.

Direito de Saber dos EUA é uma organização sem fins lucrativos que investiga os riscos associados ao sistema alimentar corporativo e as práticas e influência da indústria de alimentos nas políticas públicas. Promovemos o princípio da transparência do mercado livre - no mercado e na política - como crucial para a construção de um sistema alimentar melhor e mais saudável.

-30-